Quem sou eu

Minha foto
Professora, pesquisadora, historiadora, um ser pensante, em mutação, completamente inacabada.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Tricotando sobre o livro, "Mulheres de Cabul", de Harriet Logan.




Eu de fato tenho uma louca paixão em descobrir o mundo das mulheres afegãs.
Um livro muito interessante,"Mulheres de Cabul", que ganhei de presente de uma aluna muito especial, Hérica Santana,  trás depoimentos comoventes das mulheres que vivem debaixo do véu.
Não quero lançar aqui, uma visão maniqueísta, do tipo "coitadinhas, elas vivem sob um regime que as oprime, elas usam o véu por causa dos religiosos fanáticos".

Sei que estudos recentes, trazem o outro lado, o daquelas mulheres que usam o véu, não como vergonha,
mas como algo que faz parte de sua identidade, acho fantástico e plausível.

Enfim,  a jornalista Harriet Logan, é fantástica!! Ela embarca na viagem ao Afeganistão, que na época estava sob domínio dos Talebans.

Gente vcs precisam ler este livro, só para se ter uma ideia,
o Taleban foi um regime radical, que tomou o poder naquele país e estabeleceu uma série de regras, dentre elas: não jogar pipas, não ouvir músicas, o homem não podia fazer a barba e as mulheres só poderiam sair de suas casas com a Burka.

Imagina o desconforto ter que usar essa indumentária, naquele calorão, e, o que é pior, a parte dos olhos, é uma espécie de viseira, elas só conseguem ver bem o que está à sua frente.
O que chama atenção no livro, são os depoimentos de mulheres formadas, que se viram impedidas de exercerem suas profissões, devido ao machismo do regime. Mas, por outro lado, pode-se observar a resistência de mulheres que na clandestinidade colocavam seus filhos para estudar. Se compararmos com a facilidade que temos no ocidente, vemos o quanto  muitos dos nossos não valorizam algo que lhes é dado com liberdade.
No cenário assolador de Cabul, Harriet Logan registrou magistralmente, mulheres arrasadas, viúvas, mutiladas em todos os sentidos, fico imaginando como elas se encontram hj, será que estão vivas? será que seus filhos estão ao seu lado? será que mudou alguma coisa, depois da queda do Taleban?
São tantos serás... Espero que aquele país um dia consiga desfrutar da liberdade que nós desfrutamos, Paz ao Afeganistão!!                          


     Hoje eu quero paz de criança dormind0

E  abandono das flores se abrindo
Para enfeitar a noite do meu bem
Quero a alegria de um barco voltando
Quero ternura de mãos se encontrando
Para enfeitar a noite do meu bem
Ah! Eu quero o amor ... o amor mais profundo
Eu quero toda a beleza do mundo
Para enfeitar a noite do meu bem !

(Dolores Duran-1959)

3 comentários:

ninahhericasantana disse...

uau! rsrs!
Na verdade, "Mulheres de Cabul" é mais que um livro, se vc prestar atenção, ele parece que conversa com o "LEITOR". Ele trás,
evidencias de um mundo completamente diferente, apesar de ser um livro "jornalístico" claro, existem fatos, que embora vivido em realidade, nos trás apenas uma grande MENSAGEM.
APRENDIZAGEM, VALOR, SABEDORIA e EDUCAÇÃO.

Prof Lidiana Justo disse...

Isso mesmo, o livro é fantástico!!
E as fotografias então?!
bjks

Irmão Diego disse...

Hum! Gostei d+ dessa matéria fessora onde mostra realmente um lado totalmente oposto do q temos aki em nossa civilização, pois vemos o quanto as mulheres nakele país passam por adversidades a ponto de ñ serem aceitas em meio a sociedade. Vou lá abç, xerin